Spiga

José Reis Chaves - 'Abalado está o ateísmo'

José Reis Chaves
Os materialistas do passado incomodavam-se com a Igreja. Os de hoje se preocupam mais é com o
espiritismo, por ser ele uma religião científica.
Publicado no Jornal OTEMPO em 07/05/2012
 
 
NÃO É POR ACASO QUE TÊM SURGIDO MUITOS ATEUS FANÁTICOS
Abalado está o ateísmo, pois avança com a ciência o espiritismo
Comparo o espírito com a antimatéria. E o espiritualista é também, de certo modo, materialista, pois aceita igualmente a realidade da matéria e da energia. Mas é capenga o cientista materialista por admitir só a realidade da matéria, quando o espiritualista admite também o seu oposto. Fica bem aqui o que disse Einstein: "A religião sem ciência é cega, e a ciência sem religião é aleijada".

Para a física quântica, as coisas invisíveis são mais importantes do que as visíveis. E o espírito é invisível. Enquanto encarnado, ele se manifesta através de seu corpo. Desencarnado, ele precisa do corpo de um médium para se comunicar conosco.

Mas o espírito do médium tem que vibrar na sintonia da do espírito comunicante. E os espíritos se atraem reciprocamente por serem semelhantes entre si em evolução. Em outras palavras, são da mesma sintonia.

Na verdade, a comunicação é feita de períspirito para períspirito, palavra criada por Kardec e que tem similares em todas as culturas da história da humanidade. Orígenes, do terceiro século, denominou-o de aura. Sua matéria é de quinta-essência, isto é, muito sutil. São Paulo o chamou de corpo espiritual. Os cientistas russos descobriram-no em 1945 e denominaram-no corpo bioplasmático. Ele liga o espírito ao corpo. E é o corpo do espírito desencarnado. É ele que se materializa nos chamados fenômenos de materializações (equitoplasmia), como aconteceu com Jesus depois de sua morte. E essa materialização de um ser de matéria quinta-essenciada é diferente da de um ser de matéria comum. Ele, para materializar-se, usa o ectoplasma do médium, de outras pessoas e dos elementos da natureza próximos do fenômeno.

O físico inglês Crokes é um dos cientistas mais famosos da história. Mas, justamente por ter sido espírita, ele foi perseguido e tem seu nome ainda desonrado por cientistas materialistas. E pressionaram para que ele não recebesse seus vários títulos honoríficos. Daí uma polêmica sobre se ele ganhou ou não o prêmio Nobel de Física em 1919, ano em que desencarnou. (Teria conquistado esse prêmio, mas não o recebeu?). Muitos autores afirmam que ele ganhou esse título. Exemplo: Décio Iandoli Jr, em "A Reencarnação como Lei Biológica", página 20, Editora FE Jornalística, SP, 2005. Décio tem doutorado de medicina em cirurgia e é catedrático da Universidade Federal Paulista (Unifesp-EPM). Mas é aceito sem polêmicas que Croques ganhou o prêmio Nobel de Química em 1907. E ele pesquisou e comprovou a realidade dos fenômenos espíritas.

Os cientistas materialistas do passado incomodavam-se muito com a Igreja. Os de hoje se preocupam mais é com o espiritismo, por ser ele uma religião científica. Os espíritas são como os israelenses, que representam um país pequeno em área e população, mas com um invejável avanço tecnológico-científico de Primeiro Mundo. Não é, pois, por acaso, que têm surgido muitos ateus fanáticos contra a doutrina codificada por Kardec, "o bom senso encarnado". E não é surpreendente que esta coluna, principalmente na internet, tem incomodado muita gente.

Ela é atacada pelos grupos religiosos tradicionais e pelos cientistas materialistas, cujas teses têm-se tornado desacreditadas porque, como disse Huberto Rohden, o materialismo agoniza por escassez de matéria!

PS:
Parabéns à médium psicógrafa dra. Marlene Saes, de São Paulo (SP), pelo seu novo livro "Nas Águas do Mar da Vida", pelo espírito Luizinho, Editora InteLitera, São Paulo (SP).
------------------------
Esta coluna, de José Reis Chaves, às segundas-feiras, no diário de Belo Horizonte, O TEMPO, pode ser lida também no site http://www.otempo.com.br/
Ela está liberada para publicações. José Reis Chaves é autor dos livros “A Face Oculta das Religiões”, “A Reencarnação na Bíblia e na Ciência” Ed. EBM (SP) e “A Bíblia e o Espiritismo”, Ed. Espaço Literarium, Belo Horizonte (MG).
e-mail: jreischaves@gmail.com
Os livros de José Reis Chaves podem ser adquiridos também pelo e-mail: contato@editorachicoxavier.com.br e o telefone: 0800-283-7147.

Este texto é reproduzido no Blog de Espiritismo com autorização do autor.
 

Partilhe este artigo:

1 comentários:

palavra luz

8.5.12

É Crokes ou Croques, ou...?

Estes nossos amigos brasileiros, como grande potencia cultural, já se estão a habituar a tirar os óculos quando lêem a grafia de nomes estrangeiros, por mais respeitáveis que sejam.

"...Sir William Crookes nasceu em Londres, Inglaterra, no dia 17 de junho de 1832.
Foi o maior químico da Inglaterra, segundo afirmativa de “Sir” Arthur Conan Doyle, o que ficou constatado pela trajetória gloriosa que esse ilustre homem de ciência desenvolveu no campo científico. Mencionado como sendo um dos mais persistentes e corajosos pesquisadores dos fenômenos supranormais, desenvolveu importante trabalho na área da fenomenologia espírita..."


É muito fácil a pesquisa do abundante material informativo a respeito deste insígne investigador de fenómenos da mediunidade e outros que tanta importância tiveram para a fundamentação científica da cultura espírita.

Peço desculpa de não ter tempo de escrever um texto original sobre esta individualidade, tendo inserido um simples "copy-paste" tirado à pressa de um site brasileiro onde, aliás, o nome do cientista também estava mal grafado!...

Enviar um comentário